segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Lamento ou sobre a loucura que não consegui organizar ou como não escrever um poema ou...ou...ou...ou

imagem:Jean-Michel Basquiat



Achei por aí uns versos meus que não ousei escrever. O soberbo poema repousa em coxim com o epíteto: exercício poético. Ele não me viu.

Mãe desnaturada sou eu. Não o pari, tampouco o adotei. Nem quis saber quem o engendrou e o firmou.

Da minha coletânea tão vasta - tenuíssima poeira dispersa - raros verbos se saturam e se precipitam. Depois, sucumbem ante meu lápis e maculam meu papel de pão.

Mas só quando chove ou faz lua cheia.

Share/Save/Bookmark

Nenhum comentário: